Comece a trabalhar no seu corpo hoje! Entre em contato!
  • suelysite@gmail.com
  • 21 97374-1351
  • Centro | Copacabana | Niterói

Gengibre: detox, emagrecedor, afrodisíaco e muito mais

O gengibre é apontado, ainda, como um auxílio extra em casos de dores de cabeça.

Incluir o gengibre na dieta cotidiana é uma alternativa que pode trazer muitos benefícios à saúde. Com mais de 400 propriedades, ele pode te ajudar a mandar para o espaço aqueles quilos extras, dá um levante quando você está resfriado e ainda ajuda a melhorar a vida sexual. Utilizado a mais de cinco mil anos ao redor do mundo, chegou a hora dele estar presente nas suas refeições.

De acordo com a nutricionista especialista em Fitoterapia Funcional, Suely Iglesias, o gingerol – responsável pelo sabor picante – é uma das substâncias ativas presentes no gengibre com ações benéficas ao organismo. “É antifúngico, anti-inflamatório, analgésico, antipirético, inibe a agregação das plaquetas evitando o aparecimento de trombos, ação cardiotônica, efeito protetor de células nervosas contra doenças degenerativas e atividade protetora contra câncer”, lista.

Pouco calórico por não conter gorduras e nem sódio, o gengibre possui vitaminas A, B3, B6, folato e sais minerais como cobre, magnésio, selênio, zinco e potássio. O rizoma é bastante usado no combate a gripes e resfriados, pois atua como expectorante e antitussígeno. Além disso, ajuda a estimular o apetite e a controlar náuseas e vômitos. O alimento é apontado, ainda, como um auxílio extra em casos de dores de cabeça, doenças reumáticas, cólicas menstruais e dificuldades na circulação periférica. Sua ação antioxidante dá uma mãozinha não só para o sistema imunológico, mas também para a pele, prevenindo o envelhecimento precoce que tanto tememos. Entre todos os benefícios os mais visíveis são a melhora do processo digestório, assim como das queixas gástricas.

O efeito termogênico do gengibre também é bastante importante. E isso é responsabilidade do gingerol (olha ele aí de novo!), que auxilia na perda de peso. “A termogênese é a capacidade de equilibrar a temperatura interna do corpo com a do meio ambiente. Faz parte do mecanismo termo regulação, que permite a certos seres vivos gastarem energia para produzir e dispersar calor de acordo com as mudanças no meio externo ou com as necessidades internas. A termogênese está estritamente associada ao metabolismo”, explica.

Já a termogênese alimentar é a energia que consumimos para processar e digerir os alimentos. “Se uma pessoa consome ingredientes hipercalóricos, notará que transpirou após a refeição, porque o organismo procura eliminar, sob a forma de calor, a energia que está sendo armazenada sob a forma de gordura. Mas existem alguns alimentos, chamados termogênicos, que tornam o processo da digestão mais lento, ou que aumentam a queima de calorias, como o gengibre”, esclarece a nutricionista.

Então, para quem quer enxugar as medidas a dica é usá-lo antes das refeições, pois minimiza a quebra das gorduras dificultando sua absorção. “Além disso, o gengibre aumenta o valor de PH dos ácidos estomacais, reduzindo as taxas de secreção gástrica, acelerado a atividade das enzimas necessárias para a digestão”, ressalta Suely.

Ser aliado da perda de peso já faz do gengibre um amigo do peito. Então, o que dizer sobre suas propriedades afrodisíacas? “O gengibre funciona como um estimulante do sistema circulatório, o que pode ter como consequência o aumento do poder e desejo sexual”, diz a especialista.

Como é possível perceber, o gengibre é excelente para a saúde. No entanto, existem alguns fatores de risco que merecem atenção. “Algumas mulheres relatam um sangramento menstrual extra ao tomar o gengibre de uma forma intensiva”, pontua Suely, explicando que isso acontece porque o alimento é um vasodilatador. Por isso, quando tomado em quantidades elevadas pode favorecer o sangramento por menstruação. Alta dose de gengibre também pode agravar alguns problemas de coração. “Não use gengibre em grandes quantidades se você tiver um problema cardíaco”, aconselha.

O uso de gengibre durante a gravidez é controverso. Existe alguma preocupação de que o gengibre possa afetar os hormônios sexuais fetais. No entanto, estudos em mulheres grávidas não confirmam esse estudo e sugerem que o gengibre pode ser usado com segurança. “Por ainda não ser claro se o gengibre pode ter algumas contra indicações na gravidez sugere-se um consumo pouco intensivo do gengibre e que consulte o médico”, observa a nutricionista, completando que também não existem estudos conclusivos que apontem fatores de risco no consumo de gengibre de uma forma moderada durante a amamentação. E mais: pessoas que sofrem com hipertensão arterial ou têm problemas no estômago, como gastrite e úlcera, devem buscar orientação médica antes de começar a consumir gengibre diariamente.

O gengibre pode ser encontrado em forma de cristais mastigáveis, desidratado em cápsulas ou em pó e fresco, o que seria o ideal. Para fazer uma boa compra, segundo Suely, a aparência é muito importante, pois geralmente quando ele está ressecado por fora, fica murcho por dentro. “Para garantir uma boa escolha, verifique se o alimento está liso, claro e firme”, ensina. A nutricionista também ressalta que quanto mais velha for, mais picante será o seu sabor.

O rizoma pode ser usado no preparo de chás, doces e salgados. Inclusive, por seu sabor intenso, ele é um dos ingredientes que podem ser adicionados à alimentação como substituto do sal, ou de parte dele. Sem ideia do que preparar com gengibre?

Três sugestões da nutricionista Suely Iglesias.

Chá termogênico

Ingredientes:

  • 1 1/2 l de água

  • 2 colheres de sopa de gengibre fresco

  • 1 rodela de limão sem casca

  • 4 colheres de açúcar

  • 6 unidades de cravo

  • 1 pedaço de 5 cm de canela

Modo de Preparo:

  • Caramelizar o açúcar, junte o gengibre, o cravo, a canela e o limão. Junte a água e deixe ferver por 15 minutos. Coar e servir bem quente

Sopa de abóbora com gengibre

Ingredientes:

  • 1 kg de abóbora de pescoço

  • 1 unidade de cebola

  • 2 colheres (sopa) de manteiga

  • 1 colher (chá) de sal

  • 1 colher (sopa) de gengibre em pó.

Modo de Preparo:

  • Refogue a cebola na manteiga. Acrescente a abóbora, tempere com sal e cubra com água. Cozinhe em fogo baixo por 15 minutos. Bata no liquidificador até consistência de creme. Misture bem o gengibre.

Atum com gengibre

Ingredientes:

  • 3 postas médias de atum fresco (cerca de 600 g)

  • 3 colheres (chá) de gersal

  • 1 colher (chá) de gengibre em pó

  • 200 g de shiitake

  • 200 g de shimeji

  • 3 colheres (sopa) de óleo de gergelim

  • 2 colheres (sopa) de missô

  • 2 colheres (sopa) de nirá picado finamente

  • sal a gosto

Modo de Preparo:

  • Lave as postas de atum sob água corrente e seque com toalha de papel. Corte-as em tiras de três centímetros x 10 cm e coloque numa tigela. Junte o gersal e o gengibre em pó e mexa, cuidadosamente, com uma espátula (pão-duro) por um minuto, ou até o peixe ficar totalmente envolvido no tempero. Reserve. Lave os cogumelos, seque com toalha de papel e retire a parte mais dura dos pedúnculos. Corte os shiitakes em tiras e separe os shimejis. Leve ao fogo uma frigideira funda ou uma wok com o óleo de gergelim até aquecer. Junte o atum e frite, salteando de vez em quando, por quatro minutos, ou até dourar a superfície. Faça este procedimento bem rapidamente, para o atum ficar vermelho por dentro. Retire o atum e reserve. Na mesma frigideira, acrescente o shiitake e o shimeji e refogue, salteando de vez em quando, por mais três minutos, ou até ficarem macios. Adicione o missô e deixe cozinhar por mais im minuto. Junte o nirá, o peixe e acerte o sal, se necessário. Deixe por mais dois minutos, retire do fogo e sirva.

Dica: Saltear é um processo rápido que consiste em frigir os alimentos em óleo, azeite de oliva ou manteiga, sacudindo a frigideira de vez em quando durante o cozimento.

Fonte: http://br.mulher.yahoo.com

Artigos recomendados

Copyright 2019 © Suely Iglesias Nutricionista

Desenvolvido por: